segunda-feira, 22 de junho de 2009

Pequena memória insular

- Aqui-d'el-rei que aqueles diabos me comem os figos! - gritava minha avó correndo para a varanda, onde agitava a linha que fazia com que chocalhassem as latas estrategicamente dispostas na horta, para afugentar o bando de estorninhos de plumagens metálicas que, em grande algazarra, assediava as duas figueiras carregadas dos frutos doces como mel. Cumprida a sua missão, reinando, logo regressava à cozinha a amanhar os inhames, que ao almoço acompanhariam a linguiça, como eles picarota e sua companheira na travessia do canal para findar ali fritinha em banha de porco derretida na frigideira de minha avó.

4 comentários:

Firefly disse...

Ora lá está os picarotos! LOL Maganos!

Rute disse...

Lol! Esses eram grandes tempo!

Iúri disse...

Particularmente bom!

GotchyaYinYang disse...

Nham nham!