segunda-feira, 15 de junho de 2009

2 anos

Dos meus braços uma vontade silente
de te envolver se desprende desmesurada,
e dos meus lábios, esvoaçando, um beijo fremente
parte ao encontro da tua pele bem amada.

Estagna-se-me a alma no azul olhar inocente,
enquanto o corpo segue a minha mão açodada,
discorrendo sobre o teu peito cedente
ao furor de uma Vénus desbridada.

Envoltos no olente humor amoroso,
exsudado pela mistura de corpos e almas,
cumpre-se o sentimento a custo conquistado;

É que nos agarramos a este amor nem sempre ditoso,
por incompreensão lançado em dolentes chamas.
Mas aos que verdadeiro o têm espera-os um doce fado.

Táim i ngrá leat.

6 comentários:

Firefly disse...

Guay!!
Feliz Cumpleaños! A los dos!

A. disse...

Gracias!

*

Rute disse...

"É que nos agarramos a este amor nem sempre ditoso,
por incompreensão lançado em dolentes chamas.
Mas aos que o têm verdadeiro espera-os um doce fado."

=) Que lindo!

Muitos parabéns!!! Beijinhos ****

Anónimo disse...

Each passing day is an attempted funeral
But I've never been the kind to dress up for a burial
Thus he remains, stabbing the back of my head
Memories just won't fade, no matter how many tears I shed

And so I stand here on my own - not cursing
But hoping that somehow it crashes
While the clock keeps ticking
Burning us down to ashes

Iúri disse...

Oh... QUE LINDO!!! Parabéns a ambos!

GotchyaYinYang disse...

Parabéns!!!!!! Quepoema tão bonito! ADOREI!