terça-feira, 29 de julho de 2008

Saudade

Só agora compreendo verdadeiramente o que é a saudade. A falta que me fazes é avassaladora, talvez porque desta vez a distância é-nos imposta. Vejo-te em tudo e em toda a parte. A olhar para mim como mais ninguém olha, com os teus grandes olhos azuis raiados de sol; a fazer biquinho quando escreves; ainda a comer quando eu já vou no café; com o olhar perdido ao longe, enquanto te sentas silencioso ao meu lado; deitado a ver televisão, enquanto eu enterro a minha cabeça nos teus braços. E tantos outros fantasmas de ti, que trazem a dor mais intensa, mas também a vontade de continuar. Tento desesperadamente encontrar forças para lutar pelo nosso futuro, agora que nos roubaram o presente.
Lembra-te: só eu e tu podemos destruir o que construimos juntos. Mais ninguém, mais ninguém...
Amo-te.

4 comentários:

GotchyaYinYang disse...

Lindo e apaixonado... o tempo parece que passa a caracol quando estamos longe... quanto mais ocupado estiveres, mais rápido passará! :) Por isso toca a ir à praia! LOL

No Limite do Oceano disse...

Depois de ler esta tua "declaração" achei que podia dar-te os "parabéns" (uso as aspas porque elas servem para alguma coisa...) pela saudade que sentes, apesar de que, é sinónimo de que a tal distância que falas é sentida por ti de uma forma que só tu poderás descrever, mas palavras não passam disso e a saudade é talvez o motor de arranque para se ir mais longe.

É certo que infelizmente ou felizmente (já nem sei o que pensar) a saudade que sinto é mais fácil de a ter sob a minha pele, mas espero que saibas que o que se constrói a dois é uma muralha que só é destruída se o mundo acabar...não tenho ouvido nada sobre o fim do mundo portanto :- ) smile like o mean it e tudo correrá pelo melhor!

*Hugs n' smiles*
Carlos

Rute disse...

A descoberta de novos sentimentos nem sempre é agradável. Nem sempre nos tráz conhecimento. Odeio a saudade! Mesmo com o reencontro não devolve o que ela nos tirou.

ArchDuke disse...

Lembra-te...