terça-feira, 25 de abril de 2006

Resignação

Horizonte indefenido,
Envolveste-te em neblina.
O rio que me nasce na alma
Perdeu o leito, não encontra a foz.
O Destino roubou-nos a felicidade
Talvez por não acreditarmos nele.
Deus vingou-se em vão,
Pois perdi a fé que nunca tive.
Mas a vida avança
Atrelada ao Tempo insensível
É preciso que nos deixemos ir
Já que a Morte não recompensa
Aqueles que a procuram.

1 comentário:

Xana disse...

Hold On. A vida é como a rosa... Pode ser muito bela mas tem sempre espinhos. Desviamo-nos deles mas eventualmente acabamos por nos picar. Mas assim como a ferida na pele sara e cicatriza, os socos que a vida nos dá tendo como alvo o coração acabam por n o danificar, em vez disso, ajudam-no a bater mais forte.

I'm here. Bjo.